Esperar que o tempo (dias melhores) ou a sorte advinda de uma conjuntura externa favorável e passageira salve a empresa não é gestão eficaz e, muito menos, planejamento.

Estamos todos passando por momentos difíceis, e a busca incansável por soluções para a saída da crise se concentra hoje, na maioria das vezes, na sobrevivência. Crescer já não faz parte das estratégias e do planejamento das empresas.

É comum adiar iniciativas de elaboração ou revisão de Planejamento Estratégico ou mesmo de interromper ações planejadas que foram geradas neste Planejamento para “aguardar melhores dias”. Geralmente, se associa esta espera com “cortes de custos indiscriminados”.

Com o foco único na sobrevivência, atitudes mais simples e visíveis, nem sempre adequadas são tomadas, alheias às estratégias previamente definidas e que se distanciam da visão da organização.

A adoção interna (e não somente a elaboração) de um produto como o “Planejamento Estratégico” resulta da ação orientada e planejada dos controladores, obrigando a empresa a pensar e a planejar seu futuro, o que necessariamente obriga a cuidar do presente.

Toda a alta direção é convocada a participar da análise, do diagnóstico, estabelecimento de estratégias, objetivos, metas e indicadores, assim como propor soluções, indicando prioridades, responsabilidades e fontes de recursos para cada solução proposta.

A simples organização interna, reunindo os controladores e tendo como atingir os resultados, já traz benefícios extremos. É comum encontrarmos dirigentes dizerem que: “passar pelo Planejamento Estratégico é quase tão importante quanto os resultados planejados que queremos alcançar”.

Todos os dirigentes saem fortalecidos deste processo, com um conhecimento muito maior da própria empresa, dos seus problemas e com muito mais capacidade de contribuir nas soluções tanto em ideias como em motivação.

É importante que a condução do Planejamento Estratégico seja realizada por profissionais competentes (internos ou externos). A construção do Planejamento Estratégico é muito mais barata e rápida do que se imagina.

Sem as grandes e caras análises de cenário é possível desenvolver um projeto de Planejamento Estratégico em poucos dias, totalmente focado em resultados e adequado à organização.

Uma vez implantado, o planejamento se tornará a peça chave para planejar ações em função de resultados, sejam estas ações direcionadas a corte de custos, crescimento da receita, aumento da produtividade, melhoria da capacitação e a aplicação de novas alternativas e produtos para aumento de receita.

Construir o Planejamento Estratégico da Organização é imprescindível, ainda mais em tempos difíceis. Pense fora da caixa, faça diferente, supere a crise!